...collaborate on
View   r5  >  r4  >  r3  >  r2  >  r1

LI1Aula1 5 - 04 Oct 2007 - Main.OlgaPacheco
Line: 1 to 1
 

Sessão Laboratorial 1


LI1Aula1 4 - 06 Oct 2006 - Main.JoseBacelarAlmeida
Line: 1 to 1
Changed:
<
<

Sessões Laboratorial 1

>
>

Sessão Laboratorial 1

 

LI1Aula1 3 - 03 Oct 2006 - Main.JoseBacelarAlmeida
Line: 1 to 1
 

Sessões Laboratorial 1

Line: 6 to 6
 
Changed:
<
<
Nesta primeira aula pretende-se familiarizar os alunos com o ambiente de programação que será utilizado nesta disciplina. Admite-se que os alunos já dispõem de algum tipo de contacto com a utilização de computadores.
>
>
Nesta primeira sessão pretende-se familiarizar os alunos com o ambiente de programação que será utilizado nesta unidade curricular. Admite-se que os alunos já dispõem de algum tipo de contacto com a utilização de computadores.
 

Login e Apresentação do Sistema MacOSX


LI1Aula1 2 - 03 Oct 2006 - Main.JoseBacelarAlmeida
Line: 1 to 1
 

Sessões Laboratorial 1

Line: 70 to 70
 
  • o utilizador utiliza um qualquer editor de texto para criar um ficheiro com a informação que irá dar origem ao documento (com a extensão .tex, por exemplo teste.tex)
  • executa-se o comando pdflatex que processará o documento resultando um ficheiro em formato PDF (Portable Document Format) (seguindo com o exemplo, executando pdflatex teste.tex produziria o ficheiro teste.pdf).
Added:
>
>
No Mac, está disponível o TexShop - uma aplicação que contém o editor de texto próprio e que facilita a utilização do LaTeX (produzir o documento resume-se a primir no botão typeset).

TexShop.jpg

 Naturalmente que o ficheiro .tex que contém a informação para o documento deve adoptar um formato específico. De facto, para além do conteúdo que queremos ver no documento final, teremos de dar indicações ao LaTeX que lho permita produzir o resultado pretendido (qual o título, o autor, quais a várias secções, etc.). Comecemos então por ver um exemplo de um tal ficheiro:

\documentclass[12pt]{article}
\usepackage[portuges]{babel}
Changed:
<
<
\usepackage[latin1]{inputenc}
>
>
\usepackage[mac]{inputenc}
 \begin{document}
Line: 133 to 137
 
META FILEATTACHMENT attr="h" comment="" date="1159401885" name="Aquamacs.png" path="Aquamacs.png" size="2942" user="JoseBacelarAlmeida" version="1.1"
META FILEATTACHMENT attr="h" comment="" date="1159402475" name="finder.jpg" path="finder.jpg" size="88322" user="JoseBacelarAlmeida" version="1.1"
META FILEATTACHMENT attr="h" comment="" date="1159406100" name="teste.jpg" path="teste.jpg" size="59980" user="JoseBacelarAlmeida" version="1.2"
Added:
>
>
META FILEATTACHMENT attr="h" comment="" date="1159908699" name="TexShop.jpg" path="TexShop.jpg" size="22783" user="JoseBacelarAlmeida" version="1.1"

LI1Aula1 1 - 27 Sep 2006 - Main.JoseBacelarAlmeida
Line: 1 to 1
Added:
>
>

Sessões Laboratorial 1


Nesta primeira aula pretende-se familiarizar os alunos com o ambiente de programação que será utilizado nesta disciplina. Admite-se que os alunos já dispõem de algum tipo de contacto com a utilização de computadores.

Login e Apresentação do Sistema MacOSX

Após a introdução do login e da password (o docente informará qual é...) o computador exibe um écran como o apresentado:

finder.jpg

A barra no topo do écran - o menu - diz respeito à aplicação activa e contém funcionalidades dessa aplicação (tais como abrir um novo ficheiro, gravar, etc). Na parte inferior do écran existe a barra de ferramentas que disponibiliza o acesso rápido a algumas aplicações (inicia aplicação com um click; arrastando um ficheiro sobre o icon: inicia a aplicação abrindo imediatamente o ficheiro em causa).

Na barra de ferramentas encontramos (entre outras) as aplicações:

  • O Finder é a aplicação responsável por manter a sessão do utilizador. O seu aspecto mais visível é a interacção com o sistema de ficheiros. Por seu intermédio podemos aceder/manipular a informação contida no disco (ficheiros, directorias, etc.).
  • O Terminal é a aplicação que permite interagir, em modo de comando, com o sistema operativo MacOSX (o sistema Unix da Apple). A sua utilização requer portanto o conhecimento de alguns comandos desse sistema, tornando-se menos intuitiva do que a manipulação da interface gráfica do sistema. É no entanto muito mais flexível e permite-nos realizar operações não acessíveis pela interface gráfica.
  • O Safari é um browser WWW. Permite consultar páginas Web (e.g. a página da disciplina).
  • O Trash permite remover ficheiros/directorias, arrastando o que se pretende remover para cima do icon.

O Finder

Esta aplicação permite interagir de uma forma visual com o sistema de ficheiros. Algumas das operações básicas que se podem fazer são acessíveis na barra superior no item File.

finder_file.jpg

Podemos abrir uma nova janela de visualização ou criar uma nova directoria. Note-se que esta directoria será uma sub-directoria da que estamos neste momento a visualizar (se não estiver nenhuma janela do Finder aberta, será criada como uma sub-directoria da Desktop que contém os elementos visíveis no fundo do écran).

Note a existência de uma directoria com icon representando uma casa, que se refere à sua directoria base (Home). A própria Desktop é uma sub-directoria dessa.

Tarefa 1 - Crie na sua Home uma directoria chamada Aula1.

O Terminal

Através do Terminal também podemos interagir, de uma forma textual, com o sistema de ficheiros. Podemos por exemplo listar o conteúdo de uma directoria (ls), remover um ficheiro (rm), visualizar o conteúdo de um ficheiro (cat) ou mover/mudar o nome de um ficheiro (mv). Podemos além disso efectuar toda uma série de acções, incluindo o início de programas.

Tarefa 2 - Inicie o Terminal e usando o comando cd (change directory) vá para a directoria Aula1 criada atras. Use ainda o comando ls -la para visualizar o conteúdo dessa directoria. Note que o comando cd, quando usado sem argumentos, o posiciona na sua Home.

Vamos agora usar um editor de texto para criar um ficheiro. Nesta primeira fase vamos usar o editor vi, comum a todos os sistemas Unix.

Quando estamos a usar o vi podemos estar em dois modos de funcionamento:

  • modo comando é o modo inicial e podemos invocar comandos: (a, i, e o) servem para passar a modo inserção; :s guarda as alterações efectuadas; (:q, :x e ZZ) terminam a execução do vi.
  • modo inserção onde podemos inserir o texto. Para voltar ao modo de comando devemos usar a tecla "Esc".

Emacs

Um outro editor de texto muito utilizado em sistemas Unix é o Emacs. Tal como fizemos para o vi, vamos aqui descrever a utilização mais rudimentar deste editor de texto. Este programa pode ser encontrado na directoria Applications e tem como icon um gnu.

Aquamacs.png

Para abrir um determinado ficheiro usa-se o comando "CTRL-x CTRL-f". Alternativamente, podemos usar o item File da barra superior do ecran. Aqui, uma das opções é abrir um ficheiro (Open File) ou uma nova janela (New). No final da edição devemos guardar o ficheiro editado, usando Save ou Save As, dependendo se o ficheiro já existia ou não.

Tarefa 3: Crie na directoria Aula1 um ficheiro com nome Grupo.txt, com a identificação dos membros do grupo (número e nome). Utilize para o efeito um dos editores de texto referidos atrás (Emacs ou vi).

LaTeX

Para produzir relatórios e outros documentos, vamos utilizar o sistema LaTeX. Este "processador de texto" distingue-se de outros (como o MS Word, do Windows) por promover a separação entre conteúdo e apresentação. Assim, o processo de criação de um documento passa pelas seguintes fases:

  • o utilizador utiliza um qualquer editor de texto para criar um ficheiro com a informação que irá dar origem ao documento (com a extensão .tex, por exemplo teste.tex)
  • executa-se o comando pdflatex que processará o documento resultando um ficheiro em formato PDF (Portable Document Format) (seguindo com o exemplo, executando pdflatex teste.tex produziria o ficheiro teste.pdf).

Naturalmente que o ficheiro .tex que contém a informação para o documento deve adoptar um formato específico. De facto, para além do conteúdo que queremos ver no documento final, teremos de dar indicações ao LaTeX que lho permita produzir o resultado pretendido (qual o título, o autor, quais a várias secções, etc.). Comecemos então por ver um exemplo de um tal ficheiro:

\documentclass[12pt]{article}
\usepackage[portuges]{babel}
\usepackage[latin1]{inputenc}

\begin{document}

\title{Um Documento de Exemplo}
\author{Eu}
\date{\today}

\maketitle

\section{Primeira Secção}

Isto é o texto que aparece na primeira secção...

\section{Segunda Secção}

Isto já é a segunda secção. Agora vou referir:

\begin{itemize}
\item Um ponto...
\item Outro ponto...
\end{itemize}

\end{document}

Uma breve explicação do conteúdo apresentado:

  • Quando uma palavra é precedida pelo carácter \, é um comando para o LaTeX. Os argumentos para estes comando (quando existem) são envolvidos em chavetas.
  • As linhas até ao \begin{document} são designadas por preâmbulo. Este inicia-se obrigatoriamente com o comando \documentclass que serve para indicar ao LaTeX qual o estilo de documento adoptado (neste caso article, mas existem também book, letter, etc.). Os restantes comandos utilizados no preâmbulo destinam-se a preparar o LaTeX para lidar com os caracteres acentuados presentes no Português.
  • O conteúdo do documento encontra-se entre as linhas \begin{document} e \end{document} (o que designamos por o ambiente document).
  • O comando \maketitle visualiza o título do documento (com a informação previamente registada pelos comandos \title, \author e \date).
  • O comando \section marca o início de uma secção (como argumento aceita o título da secção)
  • O ambiente itemize permite enumerar vários pontos (cada um deles é precedido pelo comando \item).

Após o processamento descrito, obteríamos o seguinte documento:

teste.jpg

Obviamente que a explicação aqui apresentada é muito incompleta, e o exemplo não ilustra minimamente as enorme potencialidades do LaTeX para produzir documentos de elevada qualidade gráfica. Recomenda-se vivamente a leitura do pequeno livro Uma não tão pequena introdução ao LaTeX2e.

Tarefa 4: Crie o ficheiro teste.tex com o conteúdo acima apresentado, compile-o (comando pdflatex teste.tex) e visualize-o (comando open teste.pdf, ou com um duplo click no Finder).

Mini-projecto individual

  • Instale no seu computador pessoal uma distribuição apropriada do LaTeX (veja, na secção "links úteis" da página da disciplina, diferentes alternativas de distribuições para os vários sistemas operativos).
  • Acompanhe a leitura de "Uma não tão pequena introdução ao LaTeX2e" com experimentações na sua instalação do LaTeX (no sub-título desse livro, lê-se que bastam 137 minutos para a sua leitura. O que podemos afirmar é que vale definitivamente a pena, mesmo que demore um pouco mais...).
  • Produza um documento contendo o seu curriculum vitae (identificação pessoal, escolas onde obteve os vários graus de ensino, hobbies, etc.)
  • Envie por email o documento produzido para o (seu) docente da disciplina.

META FILEATTACHMENT attr="h" comment="" date="1159401695" name="finder_file.jpg" path="finder_file.jpg" size="34478" user="JoseBacelarAlmeida" version="1.1"
META FILEATTACHMENT attr="h" comment="" date="1159401885" name="Aquamacs.png" path="Aquamacs.png" size="2942" user="JoseBacelarAlmeida" version="1.1"
META FILEATTACHMENT attr="h" comment="" date="1159402475" name="finder.jpg" path="finder.jpg" size="88322" user="JoseBacelarAlmeida" version="1.1"
META FILEATTACHMENT attr="h" comment="" date="1159406100" name="teste.jpg" path="teste.jpg" size="59980" user="JoseBacelarAlmeida" version="1.2"

Revision 5r5 - 04 Oct 2007 - 11:06:18 - OlgaPacheco
Revision 4r4 - 06 Oct 2006 - 08:49:16 - JoseBacelarAlmeida
Revision 3r3 - 03 Oct 2006 - 22:16:53 - JoseBacelarAlmeida
Revision 2r2 - 03 Oct 2006 - 20:55:01 - JoseBacelarAlmeida
Revision 1r1 - 27 Sep 2006 - 23:27:08 - JoseBacelarAlmeida
This site is powered by the TWiki collaboration platformCopyright © by the contributing authors. All material on this collaboration platform is the property of the contributing authors.
Ideas, requests, problems regarding TWiki? Send feedback
Syndicate this site RSSATOM